Tensões aumentam com mobilizações na fronteira entre China e Índia

Imagens de satélite mostram atividade no vale de Galwan

Mobilizações de tropas e construções de infraestruturas nos dois lados da fronteira disputada entre a China e a Índia foram captadas por um satélite da MAXAR, uma companhia de imagens de satélite baseada no Colorado, nos EUA.

A atividade na região do vale de Galwan indica o aumento de tensões entre as duas potências, cujos exércitos tinham concordado em cessar as hostilidades após um confronto mortífero na noite de 15 de Junho.

O conflito inicial causou a morte de 20 soldados indianos e o ferimento não-letal de mais de 100 num confronto corpo-a-corpo. A China libertou 10 soldados indianos capturados ao fim de três dias, mas mantém o número de perdas desconhecido.

O Exército de Libertação do Povo teria mobilizado profissionais de artes marciais para perto da fronteira antes do confronto. Um acordo bilateral entre os dois países impede o uso de armas.

Desde então as tensões têm aumentado na Linha de Controlo Real (LCR), a fronteira efetiva entre a China e a Índia, com o aumento de atividade aérea por parte da China e a mobilização de sistemas de mísseis para a região Este de Ladakh por parte da Índia. A Força Aérea e o Exército Indiano mobilizaram tropas ao longo da LCR.

Por sua vez, a China condensou as suas forças militares na capital do Tibete.

Mapa desenhado por Samiah Bilal que ilustra a região do conflito

O vale de Galwan foi reclamado pela China nos anos 60, após movimentos de expansão territorial nos anos 50. Embora a população indiana reivindique o território, as resoluções da ONU sobre Jammu e Kashmir apontam que a Índia está a ocupar o território de Ladakh ilegalmente. A China acusou a Índia de atravessar a LCR duas vezes.

As potências abriram um espaço para diálogo todas as semanas através do Mecanismo Ativo para Consultação e Coordenação sobre as fronteiras, reporta a ANI.

O ataque de 15 de Junho foi o mais mortífero dos últimos 50 anos.

Fontes: Associated Press, India Times, Asian Age, Dawn, EIN News

Foto de Capa: Imagens de satélite da região de Ladakh [Foto: Maxar]