Dados pessoais de refugiados rohingya divulgados pela ONU

Comunidade rohingya é vítima de vazamento de informações por parte da Organização das Nações Unidas.

A Human Rights Watch, organização não-governamental acusou, no dia 15 de Junho, que a ONU partilhou sem consentimento informações pessoais de diversos refugiados rohingya com Myanmar, o seu país de origem e de onde fugiram.

Em comunicado, a ONG adianta que o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) vem a registar desde 2018 milhares de rohingya em campos de refugiados do Bangladesh, com o objetivo de lhes ser atribuído um cartão de identificação por parte do governo de asilo. Porém os dados, incluindo fotografias, foram divulgados com o executivo de Myanmar para um possível repatriamento.  

Lama Fakih, diretora da Human Rights Watch, afirma que “as práticas da UN com os Rohingya no Bangladesh são contrárias às suas próprias políticas e expuseram os refugiados a um risco acrescido”. O ACNUR só pode partilhar os dados que obtém sobre qualquer indivíduo com os países de origem do mesmo quando este processo é feito de forma informada e consentida por todos os envolvidos. 

Este vazamento de dados é mais um episódio de atropelo aos direitos humanos contra os rohingya, que já chegam a ser mais de 800,000 deportados e fugitivos de crimes persecutórios à comunidade. 

Fonte: Human Rights Watch, The Guardian